IBPTECH foi criado em 2001 com o nome Instituto Brasileiro de Peritos em Comércio Eletrônicos e Telemática (IBP Brasil).

Naquela época, o mundo havia recém superado o chamado “bug do milênio”,  uma séria ameaça para os sistemas que armazenavam o “ano” em um campo com apenas dois dígitos, com a virada o ano corrente passaria de “99” a “00”, menor que o ano anterior . O desastre foi evitado pela adoção em massa de inteligentes métodos de compensação.

Obtida a estabilidade dos sistemas legados, o mundo pôde ser dedicar à adoção de novas tecnologias e serviços, como a Internet, as transações online, o comércio eletrônico, a mobilidade e a ubiquidade. As inovações afetaram as relações sociais, modificaram os contratos e  foram adotadas na prática de crimes, impulsionando o chamado Direito Eletrônico e impondo aos tribunais lidar com evidências digitais, imateriais e cada vez mais complexas.

A criação de IBPTECH situa-se nesse contexto, objetivo muito bem repercutido pela revista Update, da Câmara America de Comércio (AMCHAM) ao dizer que a nova empresa prestava serviços de “ciber-peritos”.

Ao longo das quase duas décadas subsequentes, IBPTECH incorporou novas áreas de atuação, como serviços periciais em engenharia, economia, ambiental, trabalhista, documentoscópica, fonoaudiológica, multimídia e outros. A vasta experiência adquirida levou IBPTECH a se dedicar também à área educacional, com a montagem da Academia IBPTECH de Ciências Forenses.

Assim, o presente portal é tanto um tributo que IBPTECH presta aos Grandes Peritos da história, pois eles deram as bases para o desenvolvimento da perícia forense, quanto uma forma importante dos professores e alunos da Academia Forense interagirem com a sociedade a respeito das questões abrangidas pelas Ciências e Tecnologias Foreses.

Finalmente, cabe deixar uma relevante advertência, este portal tem o objetivo único e exclusivo de divulgar de forma leiga os temas que são próprios das Ciências Forenses e com isso homenagear os Grandes Peritos. Portanto. o seu conteúdo não está atualizado em relação à técnica, não é uma oferta de serviços ou produtos, não pode ser utilizado em confronto com serviços ou produtos reais e é inadequado para ser utilizado como referência em trabalhos acadêmicos, por ser meramente ilustrativo.

 

Veja também